quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O Negro Entoou!

Zumbi dos Palmares o grande guerreiro, encontrasse presente no coração, na alma e na mente dos tod@s @s negr@s por esse país cada olhar, a cada expressão na luta cotidiana pela liberdade de agir, ir e vir. 

O nosso passado nos ensina a refletir sobre uma triste realidade, cruel e brutal que em fagulhas permeiam nos meandros da "sociedade conservadora" em que vivemos, mas a vontade de lutar e o direito pela igualdade e o respeito são perpétuos. 

A cada grito que ecoa das chibatadas ingratas gratuitas secas que atingiram muitos corpos, expõem o sentido pelo caminhar de hoje nas ruas, entre pessoas que permitiram se contagiar e aqueles que ainda propagam a cultura do ódio. 

Somos negros sim, com muito orgulho e amor pela vida, não a sofrida, mas a real, onde não existe apenas um lado só, existe outro lado que é mais forte e que permite que muitos como eu legitimem sua identidade, sem medo de encarar os preconceitos, injurias e atos racistas. 

O povo negro vive, o negro é lindo, o negro é forte, o negro é luta. 

Salve Zumbi dos Palmares!!!

Negro Entoou uma linda exposição nos click's da fotografa Maíra Sampaio Guarani Kaiowás, trás a tod@s a sensibilidade e a emoção a cada registro. Dessa vez o RAP é o grande privilegiado em poder fazer parte desse belíssimo trabalho que contagia, arrepia e alimenta a vontade de lutar por mais respeito e igualdade.

O Negro Entoou!!!

\o


terça-feira, 18 de novembro de 2014

RAP Educação!

Ontem trocamos umas ideias sonoras na E.E. Hildebrando Siqueira no Jd. Eulina em Campinas-SP, uma manhã fantástica de muito debate e aprendizado. Em comemoração ao dia da Consciência Negra e a convite do prof. de Filosofia Fernando Henrique (FH) participamos de um debate sobre cultura, religião e o papel do negro na sociedade. É sempre bom voltar a escola e sentir todo o seu calor, é voltar no passado, mas sem perder a noção do presente. Os alunos muito interessados e bem questionadores participaram atentamente das palestras com perguntas diretas e retas. No final eu e meu parça DJ Xegado fizemos uma apresentação que foi de arrepiar a alma, só tenho a agradecer pelo momento inesquecível.
Muito obrigado prof. Fernando, e aos amigos que somaram nas palestras, ao meu mano DJ Xegado pela parceria, a direção pela recepção e atenção, aos professores que ficaram pra trocar uma ideia e a tod@s alun@s presentes, energia total!

Fotos: Raphael Silveiras.







domingo, 16 de novembro de 2014

Caminhos

Caminhos novos no traçado então
será que os traços enfim suportarão
pessoas percorrem juntos no coração
todos ao mesmo tempo uma multidão

Carrego ainda o passado nas costas
a frente disputo vozes, posses  e cotas
a atenção devida beira as encostas
preciso ser rápido pra não derreter as calotas

Fugir será o caminho, um desígnio
aqui, ali e no meio a bifurcação no mínimo

a escolha é rápida sagas na opção
deixa o tempo dizer, não!

vou pra onde as palavras mandarem...


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Firmeza total BioArt!

Salve rapaziada! Gostaria de agradecer a tod@s que estiveram presente ontem na oficina "RAP: rimas além da poesia". Grato pela atenção e o respeito. Valeu Afonso Machi e toda organização do BioArt 2014 por acreditarem no trabalho. 

Até a próxima! 

MC Maurício

Fotos: BioArt 2014









quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Oficina: RAP - Rimas Além da Poesia

Salve rapaziada, na próxima quinta-feira (25/09) às 14h faremos uma oficina de produção de poesia "RAP: rimas além da poesia" nas atividades que compõem o BioArt 2014 - 37ª Edição na Unicamp.

As inscrições estão abertas no http://bioart2014.wix.com/bioart-2014. É só chegar rapaziada, firmão? Um abraço a tod@s.



Release:
Como é construir uma poesia e transformá-la em música RAP? A oficina “Rimas Além da Poesia” busca desenvolver e abordar as principais técnicas para a criação de uma poesia, tais como rimas, métricas, criação de versos, estrofes, uso das palavras. Transpondo-os para elementos essências que compõem o ritmo envolvendo o tempo/compasso, flow/levada, tônica silábica. E conta como uma breve história da cultura Hip-Hop e o movimento musical urbano RAP (Rhythm And Poetry), que emergiu das ruas jamaicanas para diversos lugares do mundo com múltiplos estilos.


MC Maurício

sábado, 13 de setembro de 2014

Oficina...

Queria agradecer a tod@s que participaram da oficina "RAP: Rimas Além da Poesia" e principalmente pela atenção e recepção. Tamo junto " Cursinho Popular Flor de Maio". Forte abraço!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O abraço!

O abraço diz tudo, valeu Parada Poética por nos proporcionar momentos como esse!
Foto: Marcio Salata

"Racistas Otários nos deixem em paz" Racionais MCs


Racionais Mc's
Racistas Otários
Mano Brown

Racistas otários nos deixem em paz
Pois as famílias pobres não aguentam mais
Pois todos sabem e elas temem
A indiferença por gente carente que se tem
E eles vêem
Por toda autoridade o preconceito eterno
E de repente o nosso espaço se transforma
Num verdadeiro inferno e reclamar direitos 
De que forma
Se somos meros cidadãos
E eles o sistema
E a nossa desinformação é o maior problema
Mas mesmo assim enfim
Queremos ser iguais
Racistas otários nos deixem em paz

Racistas otários nos deixem em paz
Justiça
Em nome disse eles são pagos
Mas a noção que se tem
É limitada e eu sei
Que a lei
É implacável com os oprimidos
Tornam bandidos os que eram pessoas de bem
Pois já é tão claro que é mais fácil dizer
Que eles são os certos e o culpado é você
Se existe ou não a culpa
Ninguém se preocupa
Pois em todo caso haverá sempre uma desculpa
O abuso é demais
Pra eles tanto faz
Não passará de simples fotos nos jornais
Pois gente negra e carente
Não muito influente
E pouco freqüente nas colunas sociais
Então eu digo meu rapaz
Esteja constante ou abrirão o seu bolso
E jogarão um flagrante num presídio qualquer
Será um irmão a mais
Racistas otários nos deixem em paz

Racistas otários nos deixem em paz

Então a velha história outra vez se repete
Por um sistema falido 
Como marionetes nós somos movidos
E há muito tempo tem sido assim
Nos empurram à incerteza e ao crime enfim
Porque aí certamente estão se preparando
Com carros e armas nos esperando
E os poderosos me seguram observando
O rotineiro Holocausto urbano
O sistema é racista cruel
Levam cada vez mais
Irmãos aos bancos dos réus
Os sociólogos preferem ser imparciais
E dizem ser financeiro o nosso dilema
Mas se analisarmos bem mais você descobre
Que negro e branco pobre se parecem 
Mas não são iguais
Crianças vão nascendo 
Em condições bem precárias
Se desenvolvendo sem a paz necessária
São filhos de pais sofridos
E por esse mesmo motivo
Nível de informação é um tanto reduzido
Não...
É um absurdo
São pessoas assim que se fodem com tudo
E que no dia a dia vive tensa e insegura
E sofre as covardias humilhações torturas
A conclusão é sua...KL Jay
Porém direi para vocês irmãos
Nossos motivos pra lutar ainda são os mesmos
O preconceito e desprezo ainda são iguais
Nós somos negros também temos nossos ideais
Racistas otários nos deixem em paz

Racistas otários nos deixem em paz

Os poderosos são covardes desleais
Espancam negros nas ruas por motivos banais
E nossos ancestrais
Por igualdade lutaram
Se rebelaram morreram 
E hoje o que fazemos
Assistimos a tudo de braços cruzados
Até parece que nem somos nós os prejudicados
Enquanto você sossegado foge da questão
Eles circulam na rua com uma descrição
Que é parecida com a sua 
Cabelo cor e feição
Será que eles vêem em nós um marginal padrão
50 anos agora se completam
Da lei anti-racismo na constituição
Infalível na teoria
Inútil no dia a dia
Então que fodam-se eles com sua demagogia
No meu pais o preconceito é eficaz
Te cumprimentam na frente
E te dão um tiro por trás

"O Brasil é um pais de clima tropical
Onde as raças se misturam naturalmente
E não há preconceito racial. Ha,Ha....."


Nossos motivos pra lutar ainda são os mesmos
O preconceito e o desprezo ainda são iguais
Nós somos negros também temos nossos ideais

Racistas otários nos deixem em paz...